Pesquisar este blog

domingo, 3 de fevereiro de 2008

O Olhar

Nada nos dá informação mais segura do que o olhar, sobretudo, se olharmos com os olhos do coração. Permite nos ver a essência e de criarmos vínculos afetivos. Nada revela e distingue melhor o verdadeiro do falso. Nada expõe tanto o nosso íntimo do outro. Às vezes basta um olhar e a nossa intuição é subitamente acionada. Então, cai a ficha, tudo fica claro, revelando às vezes aquilo que não queríamos saber ou ver. Quando os olhos dizem uma coisa e a boca outra, acredite nos olhos. Eles sempre obedecem exatamente às ações do coração e da mente. O olhar é poderoso. É capaz de despir, devorar, ameaçar, insultar, violentar, agredir, desprezar, abandonar. Como quando, subitamente os olhos do outro se fecham, fogem para o escuro do coração, se perdem, divagam, fazendo com que a gente se sinta meio sozinha no meio deserto ou quando, de repente você percebe o mais triste dos olhares: o amor que acabou. Mas o olhar pode fazer o coração pular de alegria. Basta um olhar, para fazer o mais feliz ou infeliz dos homens. Vidros transparentes, sem cortina, sem defesa, abertos e entregues. Correndo riscos, pedindo pra ficar. É o olhar de amor, de paixão de ternura... Quer coisa mais sensual que o prazer de sentir aquele olhar na nossa pele, revelando o sensível que está oculto no outro lado do corpo? É uma sensação divina o encontro de dois olhares: você, sua identidade, sua pessoa...se comunicando, sem necessidade de palavra nenhuma...

Nenhum comentário: